Acúmulo diferencial de massa seca em eucalipto e pinus expostos a glyphosate

Natálye Ramos da Silva, Flávia Regina da Costa, Leonardo Bianco de Carvalho

Resumo


O controle de plantas daninhas na linha de plantio com o uso de glyphosate é comum em áreas de florestamento de eucalipto e pinus, mas pode expor a cultura de interesse à deriva do herbicida e causar impacto sobre o crescimento inicial das mudas. O objetivo foi avaliar, comparativamente, a massa seca de plantas de pinus e eucalipto sob doses de glyphosate e verificar a ocorrência de hormese. Em plantas recém transplantadas, o herbicida glyphosate foi aplicado em doses variando de 0 a 720 g e.a. ha-1 e foi avaliada a massa seca do caule, das folhas e da parte aérea aos 30 dias após a aplicação. Pinus apresentou menor susceptibilidade para massa seca do caule (com ocorrência de hormese), enquanto eucalipto, para massa seca de folhas (com ocorrência de hormese). Pinus e eucalipto, respectivamente, apresentaram hormese de 4,1% e 4,8% para massa seca da parte aérea em doses de 8 g e.a. ha-1 e 11 g e.a. ha-1; a dose requerida para reduzir a massa seca em 50% foi de 75 g e.a. ha-1 e 108 g e.a. ha-1 e a redução da massa seca foi de 57% e 69% (com morte das plantas) quando expostas a dose de 720 g e.a. ha-1, respectivamente para pinus e eucalipto. Pinus é mais susceptível ao glyphosate que eucalipto.

Palavras-chave


Eucalyptus urograndis, Pinus taeda, N-(fosfonometil) glicina, dose-resposta.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171