Ação fungitóxica de fungicidas na germinação de uredosporos de Puccinia hemerocallidis

Roberta Sabatino Ribeiro, Ricardo Trezzi Casa, Aike Anneliese Kretzschmar, Daiana Bampi, Fabiane Nunes Silveira, Edimara Fossá

Resumo


Na cultura do hemerocale a ferrugem, causada por Puccinia hemerocallidis, é a principal doença foliar. A aplicação de fungicidas é um dos métodos de controle desta doença. No entanto, no Brasil há poucos estudos avaliando o seu efeito no controle deste patógeno. O objetivo foi determinar a concentração inibitória (CI50 e a CI100) de oito produtos sobre a germinação de uredoporos de P. hemerocallidis. Testaram-se os fungicidas: azoxistrobina, picoxistrobina, piraclostrobina, trifloxistrobina, ciproconazol, epoxiconazol e tebuconazol; e ainda o pó de rocha, todos nas concentrações de 0; 0,01; 0,1; 1; 10 e 100 mg L-1. Os produtos foram diluídos sucessivamente até se obter as concentrações desejadas, misturados em meio ágar-água e após a solidifi cação da mistura em placas de Petri acrescentou-se a suspensão de uredosporos. O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado com quatro repetições. Em microscópio óptico foram analisados 100 uredosporos por placa de Petri. Os dados foram submetidos a análise de regressão. Todos os fungicidas do grupo químico das estrobilurinas (azoxistrobina, picoxistrobina, piraclostrobina e trifloxistrobina) e o tebuconazol apresentaram elevada fungitoxicidade a uredosporos de P. hemerocallidis, e os fungicidas ciproconazol e epoxiconazol, bem como o pó de rocha, apresentaram ação moderadamente fungitóxica.

Palavras-chave


Ferrugem do hemerocale; Fungicidas; Pó de rocha; Concentração inibitória.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171