Comprimento crítico de declive e erosão hídrica, em três doses de resíduo cultural e dois modos de semeadura direta

André Julio do Amaral, Neroli Pedro Cogo, Ildegardis Bertol

Resumo


O objetivo deste trabalho foi investigar a existência de comprimentos críticos de declive, associados à falha do resíduo cultural de milho, nas doses de 8, 4 e 2 Mg ha-1, em dois modos de semeadura direta, sem e com hastes sulcadoras. Foi usada chuva simulada de 75 mm h-1, aplicada com o simulador de braços rotativos, e um Nitossolo Bruno com 0,16 m m-1 de declividade. Inicialmente aplicou-se somente chuva, até a enxurrada ficar constante. Em continuidade, sem interromper e mudar a intensidade da chuva, níveis crescentes de fluxo extra de água (seis, 10 minutos cada um) foram adicionados às parcelas experimentais, para simular comprimentos de declive progressivamente maiores. Observou-se efetiva remoção do resíduo de milho pela enxurrada em todos os tratamentos, sugerindo falha do mesmo ou existido comprimento crítico de declive em todos eles, mas isto não pôde ser confirmado pelas relações teóricas de erosão. Mesmo assim, como referência e por medida de segurança, deu-se crédito real ao observado visualmente e considerou-se falha do resíduo nos níveis menores de fluxo extra na semeadura direta sem hastes sulcadoras e nos níveis maiores de fluxo extra na semeadura direta com hastes sulcadoras, estabelecendo-se comprimentos críticos de declive, respectivamente, de 64 m a 118 m e 171 m a 456 m, conforme as doses de resíduo.

Palavras-chave


Chuva simulada; Cobertura do solo; Rugosidade do solo; Infiltração de água; Escoamento superficial.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171