FAUNA EDÁFICA EM SOLO SUSCETÍVEL À ARENIZAÇÃO NA REGIÃO SUDOESTE DO RIO GRANDE DO SUL

Ana Paula Rovedder, Zaida Inês Antoniolli, Evandro Spagnollo, Saulo Ferigolo Venturini

Resumo


Devido a alta sensibilidade à alterações ambientais, a fauna edáfica vem sendo utilizada como indicador da qualidade do solo. Com o objetivo de avaliar o efeito de diferentes usos do solo sobre a fauna edáfica de um solo arenítico no sudoeste do Rio Grande do Sul, conduziu-se o presente estudo. Foram selecionadas quatro áreas adjacentes: área degradada, plantio direto, campo nativo e povoamento de eucalipto. Os organismos foram coletados com armadilhas do tipo Provid, em outubro, novembro e dezembro de 2001. Para cada uso do solo, avaliou-se a abundância para as Ordens de maior ocorrência e a diversidade, através do Índice de Diversidade de Shannon. Devido a importância da Ordem Collembola como indicador biológico, esta foi caracterizada até o nível de família e determinou-se a abundância em cada uso do solo. A maior diversidade foi encontrada em plantio direto. Os níveis de abundância e diversidade encontrados na área com eucalipto foram similares ao das áreas de plantio direto e campo nativo. A área degradada apresentou os menores índices de abundância e diversidade da fauna edáfica, e menor abundância de colêmbolos, evidenciando as características de degradação do meio.

Palavras-chave


fauna edáfica, abundância, diversidade.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171