Biomassa cítrica, extrato de algas, calda bordalesa e fosfitos no controle do míldio da videira, cv. Niágara Branca

Luiz Augusto Martins Peruch, André Martins de Medeiros, Emílio Della Bruna, Marciel Stadinik

Resumo


Este trabalho teve como objetivo avaliar a eficiência de produtos alternativos para o controle do míldio da videira cv. Niágara Branca. O experimento foi conduzido em Urussanga, SC, no período de setembro de 2005 a fevereiro de 2006. Foram testados os seguintes tratamentos: fosfito K 0,2%, fosfito PK 0,2%, biomassa cítrica, calda bordalesa 0,5%, extrato da alga Ulva fasciata e testemunha. A sanidade foi avaliada pela área abaixo da curva de progresso da doença (AACPD) nas folhas, incidência da doença nos cachos (PCD) e produtividade no momento da colheita. O experimento foi conduzido em delineamento inteiramente casualizado e os tratamentos comparados pelo teste de Duncan. Destacaram-se a calda bordalesa 0,5% pela redução de 59% da AACPD na folha e 45% da PCD; fosfito K 0,2% e fosfito PK 0,2% somente na folha com 59% e 71% de redução da AACPD, comparados com a testemunha, respectivamente. Extrato de U. fasciata 0,5% e biomassa cítrica 0,25% não diferiram da testemunha em nenhuma das variáveis avaliadas. Os tratamentos não proporcionaram diferenças significativas na produtividade da cultura.

Palavras-chave


Ulva fasciata, AACPD, cacho, Plasmopara viticola.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171