Enfoques metodológicos participativos e agroecologia na política nacional de assistência técnica e extensão rural

Cleimon Eduardo do Amaral Dias, João Fert Neto, Felipe José Comunello, Moisés Savian

Resumo


A nova fase do serviço de Assistência Técnica e Extensão Rural – ATER, iniciada no Brasil em 2003, tem como um dos mais importantes princípios norteadores a adoção de novos enfoques metodológicos participativos e de um paradigma tecnológico baseado nos princípios da agroecologia. Esses princípios possuem como um de seus fundamentos a valorização do conhecimento nativo, também conceituado como tradicional ou local. O presente trabalho pretende discutir essas mudanças na política de ATER no Brasil, trazendo elementos teóricos e conceituais que auxiliem na implantação do novo serviço com bases suficientemente sólidas, para o sucesso da nova fase extensionista. Para tanto, problematiza a idéia de agricultor tradicional, ou nativo, pois entende que essa conceituação pode ser relativa; e questiona como incluir o agricultor familiar, cuja produção atual assenta-se na tecnologia convencional. O trabalho conclui apontando duas possibilidades: o nativo relativo e as reflexões de Giddens a cerca da modernidade reflexiva.

Palavras-chave


nativo, modernidade reflexiva, extensão rural, agroecologia.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171