Cryptosporidium spp. em cães domiciliados da cidade de Lages, SC

Anderson Barbosa de Moura, Everton Borba Teixeira, Antonio Pereira de Souza, Amélia Aparecida Sartor, Voldomiro Bellato, Fernanda Magalhães Stalliviere

Resumo


Este trabalho foi conduzido com os objetivos de detectar a ocorrência de oocistos de Cryptosporidium spp. em amostras fecais de cães, determinar a prevalência pontual da infecção e avaliar a influência de fatores de risco para criptosporidiose canina. Foram colhidas fezes de 200 cães, domiciliados da cidade de Lages, SC. De cada amostra fecal, dois esfregaços foram realizados e submetidos à técnica modificada de coloração de Ziehl-Neelsen. As amostras também foram submetidas a centrífugo-flutuação em solução de Sheather. Microscopia e micrometria foram utilizadas para a visualização e identificação dos oocistos. A análise estatística foi realizada pelo teste de qui-quadrado ( ) para observar relação entre positividade e fatores de risco. Em oito (4%) das amostras avaliadas, foi verificada a presença de oocistos de Cryptosporidium spp., pela técnica de Ziehl- Neelsen. Destas, três também foram positivas na técnica de centrífugo-flutuação. Animais alimentados com dieta caseira e aqueles mantidos em ambiente com grama e/ou terra apresentaram maior positividade. Os resultados encontrados indicam que o cão, pelo seu estreito convívio com o ser humano, pode também representar uma fonte de infecção de criptosporidiose canina, considerada uma zoonose recorrente pela Organização Mundial da Saúde.

Palavras-chave


Cryptosporidium spp., cães, Ziehl Neelsen, centrífugo-flutuação.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171