Diagnóstico da adequação de propriedades leiteiras em Santa Catarina às normas brasileiras de qualidade do leite

César Augustus Winck, André Thaler Neto

Resumo


A Instrução Normativa 51/2002 do MAPA (IN 51) definiu regulamentos técnicos para a produção, identidade e qualidade dos diversos tipos de leite. Dentre os atributos de qualidade estabelecidos para o leite cru, destacam-se a Contagem Bacteriana Total (CBT) e a Contagem de Células Somáticas (CCS), além da composição e ausência de drogas e de resíduos químicos. A partir dessa regulamentação é importante avaliar a influência do perfil dos produtores, da utilização de técnicas de manejo e de equipamentos para ordenha e refrigeração do leite sobre a adequação das propriedades leiteiras à IN 51, em termos de CBT e CCS. Para proceder essas avaliações, aplicou-se um questionário estruturado a 166 produtores das regiões Meio-oeste e Alto Vale do Itajaí do Estado de Santa Catarina, no período de abril a setembro de 2006. Foram avaliados os efeitos do grau de instrução do produtor, do volume de leite produzido, das técnicas de manejo empregadas, dos equipamentos de ordenha e refrigeração utilizados e do conhecimento do produtor sobre as exigências da IN 51 sobre o percentual de não-conformidade para CBT e CCS. Em média, o percentual de nãoconformidade para CCS (acima de 1.000.000 UFC/ ml) foi de 11,3% e para CBT (acima de 1.000.000 UFC/ml de leite) foi de 73,1%. Propriedades com produção de leite acima de 200 litros/dia apresentaram maior conformidade com a IN 51 para CBT, mas não para CCS. Produtores com nível educacional mais elevado também obtiveram resultados melhores para CBT, porém não para CCS. O fato de o leite ser ou não a principal atividade econômica da propriedade, bem como o grau de satisfação do produtor com a atividade leite, não influenciaram a adequação às normas, tanto para CBT como para CCS. As propriedades com ordenha manual tiveram melhores resultados para CBT. A técnica de preparação do úbere para a ordenha afetou somente os resultados de CBT, com melhores resultados para os produtores que afirmaram utilizar pré-imersão das tetas em desinfetantes. O resfriamento do leite em resfriadores de imersão ou expansão não afetou a qualidade do leite, porém ambas foram melhores para CBT do que o resfriamento com freezer ou refrigerador. As técnicas de manejo de ordenha e a refrigeração do leite não afetaram a conformidade à IN 51 em termos de CCS. A maioria dos produtores não considera ter conhecimento sobre as normas de qualidade do leite. Aqueles que consideram ter algum tipo de conhecimento, não obtiveram melhores resultados para qualidade do leite. Concluiu-se que a maioria das propriedades leiteiras das regiões pesquisadas se adequa ao estabelecido pela IN 51 para CCS, mas não para CBT. A utilização de técnicas corretas de higiene de ordenha e dos equipamentos melhora a adequação dos produtores à normatização, o que não ocorre com a simples aquisição de equipamentos (ordenhadeira mecânica e resfriador por expansão direta).

Palavras-chave


contagem bacteriana total, contagem de células somáticas, qualidade do leite, manejo de ordenha.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171