Morfometria de sementes de Jatropha curcas L. em função da procedência

Noelle Farias de Aquino, Michelle Cristina Ajala, João Alexandre Dranski, Vanessa Leonardo Ignácio, Marlene de Matos Malavasi, Ubirajara Contro Malavasi

Resumo


O objetivo deste trabalho foi correlacionar mensurações unidimensionais em sementes de Jatropha curcas procedentes de Pernambuco (PE), Minas Gerais (MG) e Mato Grosso do Sul (MS) com a biomassa para o ajuste de modelos estimativos. As sementes de pinhão manso apresentaram diferenças significativas quanto às medidas externas e de biomassa. O diâmetro menor, medido a partir da rafe e perpendicular ao comprimento, apresentou maior coeficiente de correlação para as três procedências (0,72 PE; 0,66 MG; e 0,44 MS), seguido do comprimento (0,66 PE; 0,65 MG; e 0,33 MS), enquanto a variável diâmetro maior resultou nos menores valores de correlação (0,44 PE; 0,37 MG; e 0,20 MS) com a biomassa da semente. Os modelos calculados com maior precisão foram M = -1,177 + 0,102 dme + 0,051 c para a procedência PE, M = -1,271 + 0,143 dme + 0,040 c para a procedência MG e M = -0,845 + 0,111 dme + 0,028 c para a procedência MS.

Palavras-chave


Jatropha curcas, morfometria, correlação, modelos.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171