Rendimento de grãos de genótipos de mamona, semeados em três épocas, no Planalto Catarinense

Mario Alvaro Aloisio Verissimo, Sergio Delmar dos Anjos e Silva, Diego Stähelin, Pedro Patric Pinho Morais, Jefferson Luis Meirelles Coimbra, Altamir Frederico Guidolin

Resumo


A mamona (Ricinus communis L.) é uma espécie com alto potencial oleífero. Em função disto, é uma das culturas mais importantes no Programa Nacional de Biodiesel. O objetivo deste trabalho foi avaliar o comportamento de genótipos de mamona semeados em três épocas, quanto ao rendimento de grãos e características agronômicas. A semeadura foi realizada a campo, em 03/11, 23/11 e 13/12 de 2006. O ensaio foi implantado no delineamento experimental de blocos ao acaso, em parcelas subdivididas, com duas repetições. As características avaliadas foram: ciclo vegetativo, ciclo cultural, estatura de planta, diâmetro do colo, relação semente-casca, massa de mil sementes e produtividade de grãos. Os genótipos comportaram-se de maneira diferenciada, nas épocas de semeadura, para as características altura de inserção do primeiro racemo, ciclo vegetativo e ciclo cultural. O atraso na semeadura reduziu o rendimento de grãos de todos os genótipos avaliados. As maiores produtividades (1.500 kg ha-1) foram obtidas na semeadura feita no início do mês de novembro. São necessários mais estudos que incluam novos genótipos e maior amplitude da época de semeadura, envolvendo no mínimo o período compreendido entre os meses de outubro a dezembro para definir a melhor época de semeadura da mamona no Planalto Catarinense.

Palavras-chave


Ricinus communis L., época de semeadura, genótipos, comportamento agronômico.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171