Lesão oxidativa eritrocitária e mecanismos antioxidantes de interesse na Medicina Veterinária

Luciana Pereira Machado, Aguemi Kohayagawa, Mere Erika Saito, Veridiana Fernandes da Silveira, Letícia Andreza Yonezawa

Resumo


Os radicais livres são formados constantemente no metabolismo celular normal e em vários eventos patológicos. Quando em excesso, eles podem causar a oxidação de moléculas biológicas. Como mecanismo de defesa, o organismo possui um complexo sistema de proteção antioxidante. O desequilíbrio entre o desafio oxidativo e a capacidade de defesa antioxidante denomina-se estresse oxidativo. Os eritrócitos desempenham funções vitais ao organismo que podem ser comprometidas devido ao estresse oxidativo. Por sua constituição, os eritrócitos tornamse vulneráveis à lesão oxidativa. Os lipídios insaturados da membrana são altamente susceptíveis à oxidação e a presença do oxigênio e do ferro, propiciando a formação de radicais livres. Além disso, são células incapazes de sintetizar novos lipídios e proteínas para substituir os que foram oxidados. Desta forma, a manutenção dos mecanismos antioxidantes como as vitaminas E e C, enzimas superóxido dismutase e catalase, sistema glutationa e metahemoglobina redutase é importante para evitar e reparar as lesões. Este trabalho revisa informações sobre os mecanismos da lesão oxidativa e do sistema de defesa antioxidante eritrocitários, com o intuito de auxiliar os profissionais de medicina veterinária no diagnóstico e tratamento de doenças relacionadas ao estresse oxidativo eritrocitário.

Palavras-chave


eritrócitos, radicais livres, lipoperoxidação, estresse oxidativo, antioxidantes.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171