Cultivo in vitro do alho visando a limpeza clonal

Francisco Olmar Gervini de Menezes Júnior

Resumo


As doenças causadas por vírus em plantas de alho têm causado perdas significativas de produção e produtividade. A principal estratégia utilizada para superar tais problemas tem sido o uso de material propagativo sadio oriundo do cultivo in vitro. O procedimento inicial para produção in vitro consiste na escolha de bulbos de maior tamanho e melhor aspecto sanitário. Posteriormente, os bulbilhos são vernalizados e submetidos à termoterapia. Após, são excisados meristemas que serão inoculados em meio de cultura MS sob concentrações de reguladores de crescimento indutoras da parte aérea. O material é então transferido em meio MS para a promoção do enraizamento e bulbificação in vitro. Os microbulbos obtidos são então vernalizados e levados à climatização. Posteriormente, as plantas obtidas são indexadas para os principais vírus que infectam a cultura, processo repetido até o momento em que se tenha certeza que o material encontra-se “livre de vírus”. Finalmente, os materiais são multiplicados em campo e distribuídos a produtores de alho-semente. Conclui-se que o cultivo in vitro de meristemas é o principal método de obtenção de plantas “livres de viroses” na cultura do alho.

Palavras-chave


Allium sativum L.; Micropropagação; Climatização; Indexação.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171