Crescimento de híbridos de milho em solução nutritiva com alumínio

Jeonice Werle Techio, Pedro Alexandre Varella Escosteguy, Diego Berres, Silas Zanella

Resumo


A utilização de híbridos tolerantes ao alumínio (Al) é um fator importante para produção de milho em solos ácidos. O objetivo do trabalho foi avaliar a reação de híbridos de milho em função de atividades excessivas de Al em solução, em condições de estufa plástica. Plantas dos híbridos Pioneer 30F53 (precoce) e 32R48 (superprecoce) foram crescidas em vasos com solução nutritiva, contendo as seguintes atividades de Al: 0,0; 5,81; 9,9; 15; 21 e 29 μmol L-1, em pH 4,5. Estas atividades corresponderam às concentrações de 0, 0,50, 0,75, 1,00, 1,25 e 1,50 mmol L-1 de Al, respectivamente. O delineamento experimental foi em blocos ao acaso, com quatro repetições. Os tratamentos foram arranjados em esquema bifatorial, combinando o tipo de híbrido com a atividade de Al. Após três semanas de crescimento, avaliou-se o comprimento da raiz seminal, a massa seca do sistema radicular e da parte aérea, o número de raízes secundárias, o teor de Al nas plantas e sua atividade tóxica que suprime 10% do valor dos atributos avaliados. A interação dos fatores estudados não infl uenciou as variáveis avaliadas. O acréscimo da atividade de até 29 μmol L-1 Al em solução reduziu, de forma linear, o comprimento da raiz seminal e a massa seca do sistema radicular e da parte aérea. O híbrido 32R48 foi mais tolerante ao Al.

Palavras-chave


Zea mays; Toxicidade; Raiz; Acidez.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171