Maturação, amadurecimento de frutos e controle de podridões de Penicillium spp. em maçãs ‘Fuji’ com a aplicação pré-colheita de indutores de resistência

Patricia Frose Stella, Cristiano André Steffens, Cassandro Vidal Talamini do Amarante, Mariuccia Schlichting de Martin

Resumo


Grande parte das perdas pós-colheita na pomicultura se deve a ocorrência de doenças, sendo o mofo azul uma das principais. Este estudo teve o objetivo de avaliar o efeito da aplicação pré-colheita das substâncias fosfito de potássio e bioflavonóides + fosfito sobre o controle de podridão por Penicillium spp. e  sobre a maturação e amadurecimento de maçãs ‘Fuji’. As variáveis analisadas foram incidência e severidade de danos pela podridão de Penicillium spp., firmeza de polpa, atributos de textura, sólidos solúveis, acidez titulável, índice iodoamido, cor da epiderme, taxa respiratória e produção de etileno. Utilizou-se delineamento em blocos ao acaso, com quatro repetições. As médias foram comparadas pelo teste de Tukey (p<0,05). O uso de indutores de resistência não controla a incidência e severidade de podridões por Penicillium spp. O fosfito de potássio na dose de 3 mL L-1, aplicado cinco dias antes da colheita, apresentou a melhor eficiência na redução da severidade de Penicillium spp. Conclui-se que a aplicação pré-colheita dos indutores de resistência não influencia a maturação e amadurecimento de maçãs ‘Fuji’ mantidas em condição ambiente e o fosfito de potássio retarda o desenvolvimento das lesões de Penicillium spp.

Palavras-chave


Mofo azul; Incidência; Severidade; Amadurecimento.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171