Bioatividade de extratos de própolis sobre o pulgão Myzus persicae Sulzer (Hemiptera: Aphididae) em couve manteiga

Aline Marielle de Souza Rocha, Alana Juliete da Silva Santos, Rita de Cássia Rodrigues Gonçalves-Gervásio

Resumo


Considerando a relevância do pulgão-verde (Myzus persicae) como praga para diversas hortaliças, o objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito de extrato de própolis sobre o comportamento e mortalidade desse afídeo. Além disso, caracterizou-se quimicamente a própolis utilizada, a qual foi coletada em colmeias de Apis melífera no Campus Ciências Agrárias da Universidade Federal do Vale do São Francisco (CCA/UNIVASF) em Petrolina, PE. Para a preparação do extrato, foram utilizados 30 g de própolis bruta triturada para cada 100 mL de solução alcoólica hidratada (70%), por um período de 10 dias, obtendo-se a solução estoque. A partir desta, foram feitas diluições para as concentrações de 10, 20, 30 e 40% em água destilada. Foram realizados bioensaios de atratividade (com e sem chance de escolha) e mortalidade, utilizando discos de folhas de couve manteiga tratados com extratos nas diferentes concentrações e testemunha. Diante dos resultados, foi possível verificar que o extrato alcoólico de própolis em baixas concentrações exerce atração sobre o pulgão-verde, enquanto em concentrações acima de 20%, o mesmo extrato repele indivíduos dessa espécie. O extrato alcoólico de própolis apresenta efeito tóxico ao pulgão-verde, provocando níveis crescentes de mortalidade à medida que se aumenta a concentração do mesmo.

Palavras-chave


pulgão-verde, Brassica oleraceae, produtos naturais, MIP.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5965/223811711632017332

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171