Vacas F1 Holandês x Zebu no terço final de gestação apresentam adaptação fisiológica quando criadas no ambiente semiárido

Thamara Amaral Diniz, Cinara da Cunha Siqueira Carvalho, Heberth Christian Ferreira, Anna Luísa de Oliveira Castro, Kátia Cristiane Borges Pereira, Maria Cecília Magalhães Gonçalves, Thaís Emanuele Soares, Jordana Carvalho Menezes

Resumo


O trabalho teve como objetivo verificar a adaptabilidade, por meio das respostas fisiológicas de vacas F1 HxZ, durante o terço final de gestação, criadas no semiárido mineiro. Foram utilizadas 10 vacas F1 HxZ, todas de quarta gestação. Para caracterizar o ambiente climático foram realizadas coletas diárias de temperatura do ar, umidade relativa do ar e velocidade do vento, para possibilitar o cálculo do Índice de Temperatura de Globo e Umidade (ITGU) e da Carga Térmica Radiante (CTR). Os parâmetros fisiológicos analisados foram: frequência respiratória, temperatura retal e temperatura da superfície corporal, às 10:00 e 15:00 horas. Os testes de adaptabilidade utilizados foram: Índice de tolerância ao calor (ITC) e coeficiente de tolerância ao calor (CTC). O ambiente climático esteve fora das condições de conforto térmico no período da tarde. Houve diferença significativa (P<0,05) para os valores de parâmetros fisiológicos, contudo, essas respostas estiveram dentro da faixa de conforto recomendados para animais mestiços. Os testes de adaptabilidade confirmaram que os animais apresentam adaptação ao ambiente do semiárido mineiro, apresentando diferenças (P<0,05), de CTC entre o horário das 10:00 h (2,52) e 15:00 h (2,64), e o ITC apresentou uma média de 9,64, valor aproximado do índice 10. Conclui-se que, as vacas F1 HxZ no terço final de gestação são adaptadas ao clima semiárido mineiro, por não alterar o comportamento fisiológico diante das adversidades do ambiente climático.


Palavras-chave


Agricultura familiar, Ambiência, Bovino leiteiro, Heterose.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5965/223811711612017070

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171