Enraizamento de estacas de Tibouchina moricandiana var. vinacea em função da forma de aplicação e concentrações de AIB

Mariane de Oliveira Pereira, Jeniffer Grabias, Katia Christina Zuffelatto-Ribas, Marcio Carlos Navroski

Resumo


Tibouchina moricandiana Baill. var. vinacea Handro é um arbusto lenhoso, nativo do Brasil com grande potencial ornamental. Objetivou-se neste trabalho avaliar a viabilidade da estaquia na propagação vegetativa da espécie em função da forma de aplicação e diferentes concentrações de ácido indol butírico (AIB). Estacas semilenhosas foram tratadas com 0, 1.000 e 2.000 mg kg-1/mg L-1 de AIB na forma de talco e solução aquosa. Após 56 dias da aplicação dos tratamentos as estacas foram avaliadas quanto às porcentagens de enraizamento, estacas com calos, sobrevivência, mortalidade, retenção foliar, brotações novas; número de raízes por estaca e comprimento das três maiores raízes. A porcentagem de enraizamento das estacas caulinares de T. moricandiana foi influenciada negativamente pelas concentrações de AIB nem pela forma de aplicação. A espécie possui alta taxa de enraizamento (90,8%), mostrando ser uma espécie com potencialidade para a propagação vegetativa via estaquia. A forma de aplicação e concentração do AIB apresentaram influência em outras variáveis, o uso de 2.000 mg kg-1 de AIB aplicado em talco ocasionou a diminuição do número de raízes e proporcionou o maior número de estacas vivas e não enraizadas. O comprimento das três maiores raízes por estaca foi maior com o uso de 1.000 mg L-1 ou mg kg-1 de AIB. O uso de AIB no enraizamento das estacas pode ser dispensável, porém pode ser utilizado na concentração de 1.000 mg L-1 ou mg kg-1, aumentando-se o comprimento e o número de raízes.

Palavras-chave


Quaresmeira; Propagação vegetativa; Estaquia; Auxina.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5965/223811711432015210

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171