Desempenho agronômico e supressão de plantas daninhas no sorgo em semeadura adensada

Guilherme Braga Pereira Braz, Fellipe Goulart Machado, Eduardo Lima do Carmo, Antonio Germano Carpim Rocha, Gustavo André Simon, Camila Jorge Bernabé Ferreira

Resumo


A semeadura do sorgo adensado pode influenciar no manejo cultural de plantas daninhas e desempenho produtivo da cultura. Sendo assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar a influência do adensamento na semeadura do sorgo sobre o desenvolvimento agronômico da cultura e supressão de plantas daninhas. O experimento foi conduzido a campo no delineamento blocos casualizados. Os tratamentos foram dispostos em arranjo fatorial 2x2x2, adotando oito repetições. O primeiro fator consistiu em dois espaçamentos entre linhas, 0,50 e 0,25 m; o segundo fator foi composto por duas populações, 180.000 e 270.000 plantas ha-1; por fim, o terceiro fator correspondeu à convivência ou não com a comunidade infestante. Para o sorgo, foi avaliada a altura de plantas, comprimento e massa de panícula, massa de mil grãos e produtividade. Para as plantas daninhas, avaliou-se densidade e massa seca. O espaçamento entre linhas e a população de plantas influenciou os componentes de rendimento do sorgo, sem, contudo, apresentar efeito sobre a produtividade. A interferência das plantas daninhas durante todo o ciclo de desenvolvimento do sorgo promoveu redução na produtividade. O adensamento de plantas no cultivo do sorgo proporcionou redução da densidade de infestação e massa seca de plantas daninhas.


Palavras-chave


comunidade infestante, métodos alternativos de manejo, Sorghum bicolor.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE CJB et al. 2010. Reduced spacing for Sorghum bicolor in the irrigated and rainfed systems. Pesquisa Aplicada & Agrotecnologia 3: 7-16.

ALBUQUERQUE CJB et al. 2011. Espaçamento e densidade de semeadura para cultivares de sorgo granífero no semiárido. Bragantia 70: 278-285.

CABRAL PHR et al. 2013. Interferência de plantas daninhas na cultura do sorgo cultivado em safrinha. Pesquisa Agropecuária Tropical 43: 308-314.

CARVALHO FP et al. 2011. Alocação de matéria seca e capacidade competitiva de cultivares de milho com plantas daninhas. Planta Daninha 29: 373-382.

CONAB. 2018. Companhia Nacional de Abastecimento. Acompanhamento da safra brasileira: grãos 2017/2018. Disponível em: http://www.conab.gov.br/OlalaCMS/uploads/arquivos/18_02_08_17_09_36_fevereiro_2018.pdf. Acesso

em: 16 fev. 2018.

CRUSCIOL CAC et al. 2011. Nutrição e produtividade de híbridos de sorgo granífero de ciclos contrastantes consorciados com capim‑marandu. Pesquisa Agropecuária Brasileira 46: 1234-1240.

DOW AGROSCIENCES. 2016. Catálogo de híbridos de sorgo 2016. Disponível em: http://msdssearch.dow.com/PublishedLiteratureDAS/dh_0965/0901b803809652fb.pdf?filepath=br/pdfs/noreg/013-051 77.pdf&fromPage=GetDoc/. Acesso em: 12 fev. 2018.

EMBRAPA. 2013. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. 3.ed. Brasília: EMBRAPA Solos. 353p.

FERREIRA DF 2011. Sisvar: a computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia 35: 1039-1042.

KAPPES C et al. 2011. Desempenho de híbridos de milho em diferentes arranjos espaciais de plantas. Bragantia 70: 334-343.

MAGALHÃES PC et al. 2014. Exigências edafoclimáticas e fisiologia da produção. In: BORÉM A (Ed.). Sorgo: do plantio à colheita. Viçosa: UFV. p.58-88.

MAPA. 2018. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Sistema de Agrotóxicos Fitossanitários/Agrofit. Disponível em: . Acesso em: 17 out. 2018.

MEROTTO JR. A et al. 2002. Interferência das plantas daninhas sobre o desenvolvimento inicial de plantas de soja e arroz através da qualidade da luz. Planta Daninha 20: 9-16.

MEROTTO JR. A et al. 2001. Variação da competição interespecífica em milho em função do controle de plantas daninhas em faixas. Planta Daninha 19: 287-294.

OLSEN JM et al. 2012. How important are crop spatial pattern and density for weed suppression by spring wheat? Weed Science 60: 501-509.

PEERZADA AM et al. 2016. Weed management in sorghum [Sorghum bicolor (L.) Moench] using crop competition: a review. Crop Protection 95: 74-80.

RIZZARDI MA et al. 2004. Manejo e controle de plantas daninhas em milho e sorgo. In: VARGAS L. (Ed.). Manual de Manejo e Controle de Plantas Daninhas. Bento Gonçalves: Embrapa Uva e Vinho. p.571-594.

RODRIGUES ACP et al. 2010. Períodos de interferência de plantas daninhas na cultura do sorgo. Planta Daninha 28: 23-31.

SILVA AA et al. 2007. Biologia de plantas daninhas. In: SILVA AA & SILVA FJ (Eds). Tópicos em manejo de plantas daninhas. Viçosa: UFV. p.17-62.

SILVA AG et al. 2015. Desempenho agronômico e econômico de híbridos de sorgo granífero na safrinha em Montividiu-GO. Revista de Agricultura 90: 17-30.

TOLK JA et al. 2013. Yield component analysis of grain sorghum grown under water stress. Field Crops Research 145: 44-51.

VASCONCELOS MCC et al. 2012. Interferência de plantas daninhas sobre plantas cultivadas. Agropecuária Científica do Semiárido 8: 1-6.




DOI: http://dx.doi.org/10.5965/223811711812019170

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171