Acidificação do solo sob fertilização nitrogenada de longo prazo em campo nativo com introdução de azevém

Diego Cecagno, Sérgio Ely Valadão Gigante de Andrade Costa, Ibanor Anghinoni, Daniel Martins Brambilla, Carlos Nabinger

Resumo


A pastagem nativa é uma importante fonte de alimentos na produção de bovinos e ovinos no bioma Pampa. A introdução do azevém e a fertilização nitrogenada são alternativas que visam intensificar a exploração pecuária de forma mais sustentável. Este trabalho teve por objetivo avaliar os efeitos de doses de nitrogênio em cobertura em pastagem nativa com introdução de azevém nos indicadores de acidez do solo. O experimento consistiu de uma sucessão secundária da pastagem natural submetida ao pastejo contínuo. A área foi calcareada, e foram utilizadas três doses de nitrogênio em cobertura, correspondendo a 0, 100 e 200 kg ha-1 ano-1 de nitrogênio. Foram realizadas avaliação de saturação por bases, saturação por alumínio e pH nas camadas de 0-10 e 10-20 cm. Na camada de 0-10 cm, para cada 100 kg ha-1 ano-1 de nitrogênio aplicado em cobertura, o pH decresceu 0,27 unidades. Na camada de 10-20 cm o pH decresceu de 5,3 até 4,7 e 4,6 com a aplicação de nitrogênio na dose de 100 e 200 kg ha-1 ano-1, respectivamente. A fertilização nitrogenada de longo prazo em campo nativo com introdução de azevém resultou em acidificação do solo até a profundidade de 20 cm.


Palavras-chave


indicadores de acidez, pastagem natural, calagem.

Texto completo:

PDF

Referências


BERG WA. 1986. Effect of 20 years of low N rate pasture fertilization on soil acidity. Journal of Range Management 39: 122-124.

BERGAMASCHI H et al. 2003. Clima da Estação Experimental da UFRGS (e Região de Abrangência). Porto Alegre: UFRGS. 77p.

BERNARDI ACC et al. 2010. Volatilização de amônia, produção de matéria seca e teores foliares de N do azevém adubado com fontes nitrogenadas. São Carlos: Embrapa. 8p.

BOLAN NS et al. 1991. Processes of soil acidification during nitrogen cycling with emphasis on legume based pastures. Plant and Soil 134: 53-63.

BOLDRINI II. 1997. Campos do Rio Grande do Sul: caracterização fisionômica e problemática ocupacional. Porto Alegre: UFRGS. 39p.

CAI Z et al. 2015. Intensified soil acidification from chemical N fertilization and prevention by manure in an 18-year field experiment in the red soil of southern China. Journal of Soils and Sediments 15: 260–270.

CARASSAI IJ et al. 2008. Recria de cordeiras em pastagem nativa melhorada submetida à fertilização nitrogenada. I. Dinâmica da pastagem. Revista Brasileira de Zootecnia 37: 1338-1346.

CHIEN SH et al. 2010. Liming requirement for nitrogen fertilizer-induced soil acidity: a new examination of AOAC guidelines. Better Crops with Plant Food 94: 8-9.

CORSI M et al. 2007. Nitrogênio e enxofre em pastagens. In: YAMADA T et al. Nitrogênio e enxofre na agricultura brasileira. Piracicaba: IPNI Brasil. p. 487-518.

COSTA SEVGA et al. 2010. Patterns in phosphorus and corn root distribution and yield in long-term tillage systems with fertilizer application. Soil & Tillage Research 109: 41-49.

FERREIRA DF. 2011. Sisvar: a computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia 35: 1039-1042.

FONTOURA SMV & BAYER C. 2010. Ammonia volatilization in no-till system in the south-central region of the state of Paraná, Brazil. Revista Brasileira de Ciência do Solo 34: 1677-1684.

IBGE. 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Produção da Pecuária Municipal. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/economia/ppm/2010/default_pdf.shtm. Acesso em: 23 ago. 2017.

KOYAMA H et al. 2001. Brief exposure to low-pH stress causes irreversible damage to the growing root in Arabidopsis thaliana: pectin-Ca interaction may play an important role in proton rhizotoxicity. Journal of Experimental Botany 52: 361-368.

NOBLE AD et al. 2008. Soil acidification and carbon storage in fertilized pastures of Northeast Thailand. Geoderma 144: 248-255.

OTTO R et al. 2017. Ammonia volatilization from nitrogen fertilizers applied to sugarcane straw. Revista Ciência Agronômica 48: 413-418.

PERON AJ & EVANGELISTA AR. 2004. Degradação de pastagens em regiões de cerrado. Ciência e Agrotecnologia 28: 655-661.

RAMZANI PMA et al. 2016. Iron biofortification of wheat grains through integrated use of organic and chemical fertilizers in pH affected calcareous soil. Plant Physiology and Biochemistry 104: 284-293.

SARMENTO P et al. 2008. Atributos químicos e físicos de um argissolo cultivado com Panicum maxicum Jacq. cv. IPR-36 Milênio, sob lotação rotacionada e adubado com nitrogênio. Revista Brasileira de Ciência do Solo 32: 183-193.

SEBRAE/SENAR/FARSUL. 2005. Diagnóstico de sistemas de produção de bovinocultura de corte no estado do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: SENAR. 144p.

SILVA SC et al. 2015. Ecophysiology of C4 forage grasses—understanding plant growth for optimising their use and management. Agriculture 5: 598-625.

SOARES FILHO CV et al. 2015. Ammonia volatilization losses in Tanzania grass fertilized with urea. Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal 16: 253-264.

SUMNER ME. 2009. Soil acidification. In: VERHEYE WH. Land use, land cover and soil sciences. Brisbane: EOLSS. v. 7. 235 p.

SUN X et al. 2008. Fertilizer nitrogen and factors affecting pasture responses. The Open Agriculture Journal 2: 35-42.

TARANET P et al. 2017. Growth and yield response of glasshouse- and field-grown sweetpotato to nitrogen supply. Nutrient Cycling in Agroecosystem 108: 309-321.

TEDESCO JM et al. 1995. Análise de solo, plantas e outros materiais. 2.ed. Porto Alegre: UFRGS. 174p. (Boletim técnico 5).

WERNECK CG et al. 2012. Volatilização de amônia proveniente de ureia com zeólita natural. Pesquisa Agropecuária Brasileira 47: 466-470.

WHITEHEAD DC. 1995. Volatilization of ammonia. In: WHITEHEAD DC. Grassland nitrogen. Wallingford: CAB International. p. 152-179.




DOI: http://dx.doi.org/10.5965/223811711812019263

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


______________________________________________________________________________________________________________________________

Revista de Ciências Agroveterinárias (Rev. Ciênc. Agrovet.), Lages, SC, Brasil        ISSN 2238-1171