A FORMAÇÃO DE PROFESSORES CATARINENSES: a produção de habitus pedagógico nas primeiras décadas do século XX

Karin Sewald Vieira

Resumo


O Curso Normal do Instituto de Educação de Florianópolis (IEF) se consolidou ao longo de sua história como espaço privilegiado para a formação de professores no estado de Santa Catarina. O presente estudo tem por objetivo compreender os mecanismos desenvolvidos em momentos diferentes do Curso Normal do IEF, nas primeiras décadas do século XX, para a produção de um habitus pedagógico. A noção de habitus pedagógico é compreendida na perspectiva de Teive (2008) a partir da apropriação do conceito de habitus (BOURDIEU, 1994; 2009). Diante da análise desenvolvida por Teive (2008), da Reforma Orestes Guimarães, intenciona-se identificar e compreender os mecanismos criados e implementados entre as décadas de 1930 e 1940, no Curso Normal do IEF. Assim pretende-se movimentar a noção de habitus pedagógico para realizar uma leitura de saberes e práticas desenvolvidas, na primeira metade do século XX, no Curso Normal. O conjunto de fontes é constituído, além da referida obra de Teive (2008), pelas pesquisas de Bombassaro (2005), Daniel (2009; 2005) e Silva (2005) sobre a formação de professores no estado de Santa Catarina. A análise possibilitou compreender que o conceito de habitus e, mais particularmente, a noção de habitus pedagógico aplica-se como categoria funcional para as pesquisas em história da educação. Tal estudo, também permitiu compreender que a noção de habitus pedagógico pode ser movimentada em diferentes contextos.

 

Palavras-chave: Formação de professores. Curso Normal. Habitus pedagógico.


Texto completo:

PDF