O artesanal e o mecânico na série Silhuetas e Fantasmagorias de Manuela Siebert

Wagner Jonasson da Costa Lima

Resumo


O texto aborda a relação estabelecida entre pintura e imagem técnica na produção da artista catarinense Manuela Siebert, procurando investigar como essa associação interferiu no processo de elaboração e na visualidade de seus trabalhos. Para tanto, considera a fatura de determinadas pinturas da série intitulada Silhuetas e Fantasmagorias. Nesse conjunto de telas, a artista procurou conferir à pintura um aspecto semelhante à da imagem mecanicamente impressa, adotando, para esse fim, técnicas e materiais pertencentes à esfera do design e da comunicação visual. Com isso, Manuela incorporou, no interior da sua prática pictórica, uma lógica próxima ao do modo de produção industrial, assinalado pela divisão entre projeto e execução. Realizadas em estágios pré-determinados, as pinturas da série exibem contornos e cores que lembram a superfície impessoal e estandardizada das imagens veiculadas pelos meios de comunicação de massa.

 

PALAVRAS-CHAVE: Manuela Siebert; pintura; imagem técnica.



Texto completo:

PDF

Referências


ADES, Dawn. Fotomontaje. Barcelona: Editorial Gustavo Gili, 2002.

ARGAN, Giulio Carlo. Arte moderna: do Iluminismo aos movimentos contemporâneos. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

BENJAMIN, Walter. Origem do drama barroco alemão. São Paulo: Brasiliense, 1984.

CABANNE, Pierre. Marcel Duchamp: engenheiro do tempo perdido. São Paulo: Perspectiva, 2002.

COWAN, Michael. The Ambivalence of Ornament: Silhouette Advertisements in Print and Film in Early Twentieth-Century Germany. Art History, vol. 36, n. 4, p. 784-809, September 2013.

FABRIS, Annateresa. A “pós-imagem mecanizada”: fotografia e arte pop. In: ______. Fotografia e arredores. Florianópolis: Letras Contemporâneas, 2009. p. 142-148.

______. O debate crítico sobre o hiper-realismo. ArtCultura, Uberlândia, v. 15, n. 27, p. 233-244, jul./dez. 2013.

FLORES, Laura González. Fotografia e pintura: dois meios diferentes? São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2011.

FLUSSER, Vilém. Filosofia da caixa preta: ensaios para uma futura filosofia da fotografia. São Paulo: Editora Hucitec, 1985.

GAGE, John. A cor na arte. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2012.

GOMBRICH, Ernst Hans. Arte e ilusão: um estudo da psicologia da representação pictórica. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2007.

GREENBERG, Clement. A crise da pintura de cavalete. In: ______. Arte e cultura. São Paulo: Ática, 1996. p. 164-167.

KAYSER, Wolfgang Johannes. O grotesco: configuração na pintura e na literatura. São Paulo: Perspectiva, 1986.

KRAUSS, Rosalind. Marcel Duchamp ou o campo imaginário. In: _____. O fotográfico. Barcelona: Editorial Gustavo Gili, 2013. p. 76-93.

LARA, Arthur Hunold. Grafite: arte urbana em movimento. 1996. 130 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Comunicação) – ECA, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1996.

OWENS, Craig. O impulso alegórico: sobre uma teoria do pós-modernismo. Arte & Ensaios, Revista da Pós-Graduação em Artes Visuais da Escola de Belas Artes/UFRJ, Rio de Janeiro, ano XI, n. 11, p. 113-125, 2004.

ROSENBERG, Harold. Os action painters norte-americanos. In: ______. A tradição do novo. Perspectiva: São Paulo, 1974. p.11-22.

SANTAELLA, Lucia; NÖTH, Winfred. Imagem: cognição, semiótica, mídia. São Paulo: Editora Iluminuras Ltda, 1998.

SIEBERT, Manuela. Silhuetas e Fantasmagorias: entre pintura e imagem técnica. 2015. 139 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) – Universidade do Estado de Santa Catarina, Santa Catarina, 2015.

STEINBERG, Leo. Jasper Johns: os sete primeiros anos de sua arte. In: ______. Outros critérios: confrontos com a arte do século XX. São Paulo: Cosac Naify, 2008. p. 39-78.

VASARI, Giorgio. Vidas dos artistas. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2011.




DOI: https://doi.org/10.5965/24471267612020107

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista do Grupo de Estudos Estúdio de Pintura Apotheke do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Universidade do Estado de Santa Catarina.

ISSN: 2447-1267

Revista Apotheke é B4 em Artes no Qualis CAPES

 

 

 

 

revistaapotheke@gmail.com